Estados namoro

Bate-papo aqui: Florida, Estados Unidos da América. Mais de 487 milhões de pessoas estão aqui: Florida. Faça novos amigos aqui: Florida no Badoo hoje! O Badoo te ajuda a encontrar pessoas interessantes nos Estados Unidos, seja para um bate-papo e diversão ou talvez até mesmo um namoro! Eles não chamam os Estados Unidos de 'a terra da oportunidade' por nada - qualquer coisa que você queira fazer, você pode! Waplog ajuda você a fazer novos amigos de Estados Unidos. Converse com homens e mulheres próximos a você. Faça novos amigos em Estados Unidos e comece a paquera. Cadastre-se em poucos segundos para encontrar novos amigos, compartilhar fotos, bater papo e fazer parte da nossa comunidade! Sites de relacionamento em Estados Unidos. POF (valorização) ... Se você quiser tentar um site de namoro livre, então Mingle2.com pode ser o site de namoro para você. Leva 30 segundos para criar uma conta e começar a procurar uma correspondência. O Mingle 2 oferece todas as ferramentas necessárias para datar em linha. Site de namoro em Estados Unidos da América Par Ideal é um site de encontros online onde você pode encontrar, conviver, conhecer milhões de pessoas em todo o mundo, se procura a sua mulher ideal, homem ideal, participe no Par Ideal. Par Ideal é um site de relacionamentos online, onde pode encontrar o seu namorado ou namorada, para encontros sérios, encontros virtuais, encontros liberais ... Latino Dating Site - Meet Latino singles on Amigos.com! Meet Latino singles - Sign up today to browse single Latino women and single Latino men - Browse single Latino pics FREE. Amigos.com - Start dating Latino singles today! A RoseBrides.com é um site internacional grátis de namoro para mulheres que querem casar e buscam conhecer homens solteiros e interessantes de países ocidentais. Se você quer enriquecer a sua vida com um relacionamento de longo prazo ao lado de um homem de outro país, você ficará satisfeita com os homens solteiros de nosso site. Namoro nos Estados Unidos. Os homens americanos vêm do país que muitos consideram ser a nação líder do mundo livre. E, de fato, com a maior economia do mundo, com tal inovação e uma sensação de dinamismo, os Estados Unidos está em primeiro plano. Isso pode ser refletido nas personalidades de muitos homens americanos. Chicago, Estados Unidos, tem namoro online! Com mais de 484 milhões de usuários buscando um amor no Fiesta, aqui você tem muito mais chances de encontrar sua cara metade! Mulheres divorciadas de Estados Unidos da América Encontros Amorosos, encontros discretos, encontros liberais, encontros sérios anuncios de mulheres e homens que procuram pessoas para relacionamentos pessoas para convívios

Autosabotagem, pornografia e brochar.

2020.10.19 07:17 yooo66666 Autosabotagem, pornografia e brochar.

Nem sei por onde começar... primeiramente tenho 20 anos e é realmente um pouco constrangedor escrever isso mesmo sabendo que ninguém me conhece, mas ok bora lá. A mais ou menos 2 anos eu terminei o meu ultimo namoro e já naquela época eu consumia pornografia mas era beeem menos, tanto que ainda não atrapalhava nada em minhas relações sexuais, tudo sempre flui numa boa, nunca pensei que poderia ter problemas com isso. Daí, dps do termino comecei a consumir mais a pornografia mas ainda tava dboa, me sentia tranquilo em relação a isso, trocava ideia com varias mina me sentindo bem e despreocupado, só que aí pro final de 2018 eu fui encontrar uma amiga minha e rolou minha primeira brochada, fiquei porra, desesperado na hora, com vergonha e pá(era a primeira vez da mina) nussss fiquei bem abalado serião, falei com uns amigos meus e eles foram suave, nem tiraram sarro, disseram que era normal, mas aí que começou o problema(deveria ter levado numa boa né, todo "mundo" leva isso numa boa, pq eu n iria) enfim, a partir daí comecei minha graaande jornada de autosabotagem e porra velho, até hj n consegui superar isso (como cara???? kkkk taloko) eu realmente rio disso, pq parece ser piada as vezes, eu gosto de mulher, gosto demais cara, e desde de essa época eu comecei a questionar tudo, minha sexualidade, pô problemas mentais, uma avalanche de pensamentos mesmo. (Tá, são muitas coisas a se falar e ainda to com vergonha de escrever isso, mas vamo lá)
Inicio de 2019 e eu tranquilo até ainda, sem nenhuma confusão mental aparente e ainda trocando ideia dboa com umas mina, aí conheci uma menina e a gente foi se aproximando, se beijou e pá, começou a rolar um amorzinho mas a gente n tinha transado ainda e aí um dia ela me chamou pra eu ir na casa dela, era carnaval, fui né, bebemos umas, fumamos uns beck e ficamo daquele jeitão né, delícia, pegação que num parava mais e aí começamo a tirar a roupa, ela me chupou(suave até então, meu pau tava levantado kkkkk) e eu tava dboa tb, eu chupei ela dps e aí bateu aquela ansiedade trevooosa, pq né o proximo passo seria nois fuder e assim... aiai.. eu tinha camisinha lá(ps: no meu ultimo namoro agnt transava so´sem camisinha praticamente) e mano, tremi nas base, falei pra ela q tava sem camisinha e né, ela tb nem tava afim de ir sem, e continuei chupando ela numa boa, mas né, pensando daquele jeitão nas coisa, preocupadasssso, uma lokura gente, aí blz, dormi la e de manha ela veio me cobrar q eu podia ter ido na farmacia e só dei uma desculpa(rapaziada por incrivel que parece n sou gay e eu me questionei bastante sobre isso, pode acreditar). Depois disso começou o desastre, toda vez q pensava em sexo pensava em brochada, instantâneo tipo, aí assim, quero resumir um pouco ne, mas vou falar oq me der na telha aqui. Dps desse ocorrido n falei pra ngm, nem amigo, nem psicologo, nem nd, malucao o cara ne, fala nem pra psicologo aiai, tabom. Dps com essa mina, de précha, broxei mais uma vez só q ai dessa vez foi na hora da penetração mesmo, aquela meia bomba que todo mundo adora, lindeza que só( to falando desse jeito pq acho q assim vo sentir menos otário) aí acabei me afastando dela (vergonha absurda, eu sou uma piada msm), deixei claro pra ela q o problema era cmg, e que ela era né MARAVILHOSA (pq de fato era kkk) aí meus manos e manas, nesse momento eu ja tava 0 bem das ideia(ps: faz mais de 1 ano isso e to desabafando isso só agora pra alguém ok) , escondendo tudo de todo mundo, mas transparecendo que tava tuddo deboa ne, kkk aiai. Que eu me lembre dps dessa mina passou um bom tempo q eu nem tentei nada com ngm(no sentido de ir pra hora H) e tipo, eu continuei flertando, com altas mina e dando idéia mas só na raso (olha o medo que tava, medo de brochar, eu sla, nem imagino falar isso pro meu amigo mais proximo q eu morro de vergonha sla) continuei flertando e pá ne, considero estar em um ponto bem alto da minha kkkk beleza facial e de personalidade tb, ent acaba q altas guria se interessava, e eu bobo né, dava papo mesmo sabendo desse meu problema kk. Ok, final de 2019 chegou um dia lá que a mesma mina q eu tinha broxado lá na primeira vez, me chamou pra ir na casa dela (claramente pra gente fuder) e eu em duvida, falei q n podia, por causa desse medo mesmo e sla, acabei indo encontrar uma amiga minha e a gente beijou dps um tempassso q eu tava afim e assim, fez minha noite tlg, n transei, nem brochei kkkk foi ótimo. Ok, vou voltar aqui no assunto da pornografia e falar q, durante o ano inteiro de 2019 eu provavelmente me masturbei quase todos os dias, pra pornô msm (mas nessa época nem tava ligado em questão de estimulo visual ser tãaao importante pra uma possivel brochada) ok, n dava a minima pra quantidade de porno q eu consumia, só seguia a vida msm, achando que todo esse medo aí meu, era problema meu, sla algum problema mental q eu desenvolvi e q era isso, botei na minha cabeça q ia continuar a ver pornografia pq já q eu n ia transar, pelo ou menos o porno ia me satisfazer( QUE ERRO, REPITO QUE ERRO jovem eu de um ano atrás). Aí pra frente é confusão mental atrás de outra, ia pro psicologo nem sabia oq falar, ficava todo perdido, todo vez q eu podia pensar nisso eu pensava e ia fuuundo e paranoia e fantasia de coisa nem ia acontecer, mano, to querendo é chorar escrevendo isso, nunca tinha botado pra fora isso, enfim... final de 2019 li em algum lugar sobre um negocio q chama reboot, que até tem video no TEDx sobre isso e video do Terry Crews falando, que é basicamente vc ficar sem se masturbar por um tempo indeterminado, que aí uma hora tudo ia voltar ao normal, na hora q eu li eu falei "É ISSO, É ISSO, PRONTO VO RESOLVER MINHA VIDA AGR MESMO" mandei msg pro meu psicologo falando q nois tinha q conversar, tava todo animado, cheguei lá, falei pra ele tudo, tudo q tinha rolado, tava rolando e falei disso aí, mas ele n me recomendou eu fazer esse reboot, falou q a masturbaçao é algo importante pro individuo, e sla, me convenceu q era melhor eu só esquecer disso e levar a vida (hj eu lembro disso e assim, meio cuzao ele ne) na hora nem parei pra pensar no negocio, tava lokin das ideia já.
Vo tentar resumir agr, dps desse aí, continuei me masturbando pra porno ainda, as vezes eu tentava parar um tempo por causa de coisa de twitter e pá, mas acabava voltando uma semana dps. Nessa época eu comecei a criar um autoestima fodida em cima disso, foi surgindo assim tb, fui levando a vida como se tudo oq tivesse rolado tivesse sido só uma fase da minha vida e que tinha passado e que eu já tava deboassa em relação a questão de brochar, que na proxima vez q rolasse ia dar certo, tipo, tava bem deboa. Aí né tava confiante, e um belo dia chamei uma mina q tava cvs pra vir aqui em casa, agnt ja tinha ficado uma vez e tava né, com tesão afinzassso, começamo a tirar a roupa foi indo, chupei ela, suavao, aí ela foi me chupar e ele abaixou do nada, sim, no meio do boquete foi pra vala minha líbido, tentei ressuscitar mas n tava indo, bati uma ali mesmo e n foi, minha cabeça já tava a mil, ja´era ne kkk falei pra mim msm, dps agnt fumou um pra ficar dboa e cvs com ela e pá, ficamos suave. Teve mais uma situação com essa mina (acho q eu forço muito né, mas eu tava só querendo botar minha autoconfiança pra cima de certa forma) agnt saiu comeu um burg já naquele estado né, e dps fomos pra casa dela, casa n, escada do prédio e rolou ali msm, oral dos dois, n brochei durante foi suave, mas na hora de penetrar nela o menino abaixou, mas fiquei deboa, respirei e fui estimulando, uma hora deu certo, botei pra dentro e foi(meia bomba kkkkk), foi pouco tempo mas foi, aiai, que saudade dessa sensação meus amigos kkkk enfim, isso era inicio de 2020, daí começou a quarentena e desde entao eu nem saía de casa né, pra pegar alguém (pra nd msm), mas continuei flertando dms ne, cabo que, uma mina lá falou pra eu ir na casa dela pra né e ja botei na cabeça que n, que n ia rolar, que ia dar merda, já pensando na brochada (ô laia) e confundindo minha cabeça, falando q sexo casual é merda (nunca nem fiz sexo casual) só inventando mentira pra disfarçar esse problema meu, enfim, dei perdido na mina. Aí (ta acabando tá? se algm tiver lendo) anteontem uma mina veio aqui em casa, ja tinha combinado a uma semana atras, mas assim kkkkjjjj, imaginando q agnt nem ia transar nem nd, no maximo um boquete e tals, por isso nem fiquei preocupado com broxar e pá, só aquele calafrio basico de trocar ideia com uma mina q tu realmente acha daora, pela primeira vez, pessoalmente (coisa linda) me preparei total, comprei um corre pra gente pitar, comprei umas breja, umas comida, meditei um pouco pra ficar suave e foi né. Ela colou, agnt trocou altas ideia daora (sla eu tava um pouco de receio de ela achar eu meio maníaco de já querer transar direto assim) aí preparei o ambiente como eu disse, fui fazendo um clima rolar alí...rolou... pegação intensa, tava adorando, bão dms, aiai, que mulher minha gente, começou a passação de mão, eu meio passivo ainda, mas tava daora, aí ela tirou meu short e ja comecei a ficar em choke(pelo lado bom) nem tava pensando em nd, aí ela parou assim e perguntou se algm podia ver nois ali (agnt tava no terraço de casa) aí falei q n, mas q sepa era melhor nois ir pro sofa q aí ne, já ficava mais confortavel( eu sou mt burro) kkkkkkkkkkk ta, ai´fomos pra la, nisso eu ja tinha guardado o pau e tava mole já, e mano, voltamo a se pegar(po eu tava desaprendido 7meses em casa) pegação lá intensa, bão dms, ai´vacilei comecei a pensar na famosa broxada, passou um tempo ela tirou minha calça e começou o oral, e adivinha n fiquei duro, e eu acho ela gostosa, acho dms, n creio q esse seja o problema, n creio q o problema seja eu n ter atração por mulher, eu tenho sim, só acho q a pornografia me leva a ter uma rotina, um vício FUDIDO que faz eu me apagar a minha própria mão, a esse ambiente nojento da punheta e de tudo q ela envolve com a pornografia, mano, eu to muito puto comigo msm, pq JÁ SE PASSOU MAIS DE ANO Q TO NESSA MERDA DE SITUAÇÃO PODRE, MANO EU QUERO TER FILHOS UM DIA, EU QUERO TER ESSE PRAZER DE TRANSAR, EU QUERO TER ESSE PRAZER DE VIVER UMA VIDA TRANQUILA SEM TER Q ME PREOCUPAR COM PROBLEMAS DE BROXAR, EU SINTO UM DESCONFORTO TÃO GRANDE COM MEUS AMIGOS, QUE REALMENTE SÃO MEUS AMIGOS E DISCUTEM ABERTAMENTE SOBRE ISSO, MAS NGM NUNCA FALOU SOBRE BROXAR, ME SINTO UM INUTIL NESSE SENTIDO ESCREVENDO ESSE TEXTO. CARAS, EU N QUERO VIVER A VIDA TODA ASSIM KKK NEM FOODENDO, NEM FODENDO. Só quero resolver isso e parar de pensar tanto em coisa que é inútil, amanha ja devo cvs com meu psicologo a respeito pq n da mais, eu fico triste, sinto um vazio imenso em mim dps q isso acontece, se alguem leu até aqui, obrigado pelo o seu tempo, diga aí oq vc acha sobre, ou n tb, se que sabe, enfim, abraços e uma boa noite pra todos. :j
submitted by yooo66666 to desabafos [link] [comments]


2020.10.18 20:31 marvinpls Webnamoro que possivelmente poderia ter dado certo

Em 2012 conheci uma pessoa, darei o nome de A.
A. devia ter mais ou menos 17 ou 18 anos, e eu, um jovem gafanhoto de 15 ou coisa assim. Conheci a A. numa live de jogos, época que ainda existia a twitcam (quem lembra?), e o "streamer" (nem existia essa profissão na época) falou que tinha uma menina no chat solteira (de brincadeira). Obviamente dezenas de nerds colaram no perfil dela do twitter, e começaram a tentar flertar com ela.
E eu, um moleque nada original, também fui fazer o mesmo. Cara... (kkkkkkkkkk!!!!!!!!) como o tempo passa né? coisa estranha demais lembrar disso. Eu fiquei obcecado pela menina, sei lá. Eu via as paradas que ela postava e o jeito dela, e nunca havia encontrado ninguém assim (claro que não, afinal eu tinha 15 anos e só jogava na internet). Mas até hoje, acho o tipo dela muito diferente das demais (não do tipo "not like the other girls") mas um tipo de garota estranha que fala o mesmo nível de merda que eu naturalmente falo. Pra ser sincero, o meu tipo de garota é justamente alguém mais próximo dela, mas é realmente muito difícil encontrar alguém assim.
Como se não bastasse, a garota era linda demais. Digamos, uma das garotas mais bonitas que já vi (ainda acho isso nos meus atuais 22 anos), e ela morava em outro estado, do tipo muitos estados longes hehehe. Enfim... meu papo de merda deu certo, não lembro exatamente como começou nossa aproximação, mas lembro que eu era o cara que ela ia desabafar por conta de um namoro merda que ela andava tendo (com um tal de C.)
Esse C. era o cara mais chato que já vi na vida. Além de não parecer EM NADA com ela, ele era distante da garota, até onde lembro. Ele investia toda a grana do salário dele em som automotivo (sem meme), e cagava pro namoro.
Ela chorava bastante, e eu ficava horas e horas em chamada com ela por skype conversando sobre bobeiras em geral. O tempo passava, foram mais 2 anos acho nessa brincadeira, até que por um ciúmes bobo ela parou de falar comigo.
Nosso relacionamento era muito baseado no twitter, compartilhávamos e falávamos sobre mutia coisa em comum, e eu claramente estava perdidamente apaixonado pela garota. Numa época aí de fã clubes e não sei quê, algumas garotas de outros estados foram me seguindo também pra trocar ideias (sem maldade), e essas novas amigas fizeram com que a A. se afastasse de mim por achar que eu não quisesse mais ela. Não sei porque, vocês podem me perguntar, eu não fui atrás dela. Sei lá, parecia que eu estava confortável, e tinha achado uma bobeira tão grande dela se afastar, que não achava que fosse tão sério.
Semanas se passaram, e a A. nunca mais falou comigo direito. Tem muito mais coisa, mas realmente não lembro como essa amizade ou webnamoro foi se desfragmentando, pq pensávamos em viagem (com 16 ANOS!!!!! irreal demais, pqp) namorico, etc. Pelo menos eu acho que era, sei lá. Talvez houvesse a chance dela só me considerar um grande amigo, e eu estivesse enviesado como homem de achar que ela realmente era afim de mim. Não sei.
Agora vem a parte engraçada
Eu nunca esqueci seu nome. Meus amigos acabaram virando colegas dela também pq de alguma forma que não lembro, ela chegou a conhecer eles. Então eles acompanham ela nas redes sociais, mas eu não mais. Lembro que eu tinha me afastado a ponto de querer esquecer ela mesmo, e ela o mesmo de mim. Hoje com a cabeça mais madura, teria feito tudo diferente. mas ainda acho webnamoro algo irreal demais.
Basicamente ela está namorando um cara do RJ (já tem um tempão já). Estado na qual eu moro também. Quando descobri isso (por amigos) fiquei de cara. Não fiquei com ciúmes, triste, inveja, nem nada, mas tudo veio novamente na minha cabeça. Caralho, um cara do RJ? Sim, eu pensei no "e se fosse eu??????????".
Eu fiquei abismado por duas coisas: o quanto minha vida mudaria se eu tivesse namorando ela? e se desse tão certo a ponto de eu morar fora? eu ainda falaria com os meus amigos atuais? (que são meus melhores amigos), eu estaria em outra profissão?
Viajei, viajei demais. E o que me faz viajar tanto nessas questões é que não era uma parada extremamente difícil de acontecer. Claramente eram adolescentes decidindo coisas muito importantes e custosas, e que nossas perspectivas de vida iam mudar drasticamente ao chegar nos 20 e poucos anos. Mas digamos que éramos compatíveis em literalmente tudo, sabe? Enfim...
Não sou apaixonado pela garota nem nada, mas é uma história curiosa que penso vez ou outra. As vezes sonho com ela, e eu não sou nada esotérico ou coisa assim, então vocês podem dar as suas explicações mirabolantes que for pra esse tipo de coisa, alma gêmea, coisa assim.
Funfact: uma das paradas mais interessantes nesse rebuliço todo é que ela havia me apresentado uma música que eu não gostava a princípio, mas depois de alguns meses mudou totalmente a forma como me vejo e escutava música. Hoje em dia posso dizer que se ela não tivesse me recomendado aquela banda em 2012, eu estaria escutando mpb ou algo do tipo. Há 8 anos escuto o mesmo "gênero" (mais ou menos na verdade), e fico muito feliz com isso.
E vocês? tem histórias com webnamoro?
submitted by marvinpls to desabafos [link] [comments]


2020.10.14 09:18 queijinhos Eu não consigo NADA.

É exatamente isso: não consigo nada.
Eu não consigo terminar nada do que eu começo, a minha vida tá desmoronando, parece que ninguém se importa e eu nem sei escrever um texto decente.
Tudo tá difícil. Eu não tenho 1 real, meu namoro tá indo pro lixo, não tenho amigos nem emprego. A pandemia levou o que eu tinha - só sobrou 100kg, um monte de doença e a Trigg me infernizando pra pagar a dívida que eu tenho. Nenhum anti depressivo resolve, meu pai me acha um fracasso e a minha mãe culpa meu autismo. Minha namorada parece me odiar cada dia mais, o pessoal da Drogasil já decorou meu nome - nome esse que tá indo pro Serasa.
Meu último trampo foi de caixa e não durou nem seis meses porque eu sou incapaz de fazer qualquer coisa. Não consigo dormir, não consigo chegar no horário, não consigo ter uma conversa como um ser humano normal. Lógico que não vou durar em emprego nenhum. Até os freelas desapareceram e meu currículo é uma piada.
Não consigo ver um filme porque não sou capaz de sentar no sofá e prestar atenção. Nem jogar, nem me exercitar, nada. Meu cérebro está em um constante estado de “NEXT” e nunca faço nada nem término nada.
Sexo? Faz mais de seis meses. Não tenho vontade, não estamos bem de saúde. Não lembro a última vez que me diverti.
Não sobraram amigos, nem dinheiro, nem beleza, nem saúde, não sobrou nada. Me pergunto que porra eu tô fazendo no universo porque essa é a vida mais meia bomba que eu já vi.
submitted by queijinhos to desabafos [link] [comments]


2020.10.11 05:01 zonadedesconforto Parece que todos os meus amigos próximo namoram sério faz tempo e eu sigo sendo o único solteiro

Ok, a princípio isso não deveria ser problema, né? Porém, na minha situação, não consigo deixar de me comparar a eles. Todos tem namoros que duram mais de anos, enquanto já fazem 3 anos que eu tenho tenho estado solteiro ou alternando entre ficantes que não foram a lugar algum.
E isso me causa um pouco de inveja. Enquanto eles tem uma companhia íntima com a qual passam a maior parte do tempo, vez ou outra me vejo sozinho, sem ter nenhuma companhia íntima (ainda mais nessa quarentena).
Parece que, com o avançar da idade, fica cada vez mais difícil flertar e gostar de alguém a ponto de ter um relacionamento mais duradouro. Como sou um pouco mais velho e já estou entrando numa idade perigosa (perto dos 30 anos, o ponto em que uma pessoa tem que deixar de ser um jovem adulto e adultecer de fato) meu maior medo é nunca conseguir se fixar com ninguém.
submitted by zonadedesconforto to desabafos [link] [comments]


2020.10.11 04:49 BUDABICHO Estou ficando obcecado pela solidão

Tenho 30 anos e há 4 anos estou sistematicamente cultivando uma vida mais solitária. Comecei me afastando dos meus amigos, depois troquei namoro por sexo casual e lentamente me afastei dos meus pais, irmãos e parentes. Me mudei para um bairro onde não conheço ninguém, e tudo isso me faz muito bem. Estou me preparando para me mudar para outro estado nos próximos meses (se o mundo não acabar) , e só pretendo levar grana, uma mochila e meu gato. Meu passado foi bem diferente, mas a essa altura da minha vida sinto uma necessidade constante de estar só, abandonado e longe de outras pessoas. Pretendo fazer terapia por mais 3 meses para me preparar para mudar de estado, e espero não acumular nada, não ter conforto, não ter uma linda casa, nem uma namorada, nem amigos. Vivo com esse pensamento "fique completamente sozinho" há 4 anos, mas a cada dia que passa me torno mais radical, nos últimos dias tive um rompimento com minha avó e minha mãe, e apesar de agora eu só ter 1 única pessoa que considero 'família', nunca me senti tão livre, e me sentir livre é melhor que me sentir amado.
Só tenho medo de ficar doido, pois sei que a falta de contato social cause sérios problemas na cabeça. Isolamento? Lockdown? Covid? Deus me perdoe, mas espero que durem pra sempre. Antes da pandemia eu estava perdido, desesperado e me sentindo um fracassado. Faz meses que estamos presos e fazia anos que não me sentia tão bem. Espero que em breve eu consiga ir para o meio do nada ficar sozinho, não quero nenhum ser humano em 50km de distância. Isso pode parecer absurdo, mas não consigo ver outro futuro para mim que não seja uma vida cada vez mais só. Às vezes eu acho que vou morrer, e alguns problemas muitos sérios seriam resolvidos se eu tivesse ao menos um conhecido por perto. Tenho problemas muito sérios na minha rotina que seriam resolvidos se eu tivesse ao menos um conhecido por perto. Meu gato já ficou com fome porque eu não tinha 3 reais para completar uma passagem para ir buscar um saco de ração, coisas como essa me deixam puto, mas o que a solidão me trás de positivo é incomparável. Sabe aquele sentimento de excitação que a gente tem quando está passeando sozinho por uma cidade desconhecida? Uma espécie de 'safadeza', de malandragem, um sentimento de 'agora eu posso ser a pessoa bacana que eu sempre quis ser"? Tenho esse sentimento todos os dias, e ele vem da total falta de expectativas sobre mim. Ninguém espera nada de mim e por isso não preciso repetir todos os dias a mesma postura. Esse sentimento de frescor dura 4 anos e espero que dure para sempre.
Espero que minha reclusão não me mate antes de arrumar uma namorada. Para matar a minha 'fome' geralmente recorro ao sexo casual(gay), homens gays são muito práticos. Mas tenho um desejo enorme de ter uma relação mais profunda com uma mulher, pois quando tive essa oportunidade eu joguei fora, e agora há pouca ou nenhuma possibilidade de me aproximar de uma mulher. Ainda não conheci esse sentimento gostoso de ter uma mulher do meu lado (homens já tive vários), e com 30 anos sou um homem inexperiente com mulheres. Já tive a chance de amar um homem, e sou grato por isso.
Sinto que em breve vou alcançar a paz que busco, ela parece estar bem ali, virando a esquina. Se algum dia você estiver de férias no meio do mato e aparecer um doidão faminto correndo pelado e falando sozinho, provavelmente serei eu. Sou bonzinho e não machuco ninguém, por favor me cumprimente. Não sofram por estarem sós, sofram por estarem rodeados de pessoas.
submitted by BUDABICHO to desabafos [link] [comments]


2020.10.10 07:42 Oi1235 Fiz coisas ruins e não me arrependo, arrependo de não ter feito pior

Quando eu namorava com meu ex, nos 3 primeiros meses, era um namoro decente. Um conhecido meu deu em cima de mim 2 vezes, e infelizmente recusei porque achava que meu ex era fiel naquele momento. Me arrependo bastante, porque se fosse hoje em dia iria transar com ele sim. Meu ex não pensaria 2x em me trair. Depois dessa fase, ele fez várias coisas sendo cuzão comigo: fingia que eu não existia, não queria me assumir nas redes sociais (e desconfio que a minha cor seja o motivo), falava que ia me trair quando eu fosse pra casa da minha mãe nas férias, e ficava com a voz irritada quando eu ligava pra ele. Aí fiquei atraída pelo meu amigo, a gente flertava e eu achava o máximo, já que meu ex me ignorava, e confessei a ele, que era com ele que eu queria ficar, só estava com meu ex porque eu tava viajando (moro em outro estado e fui pra casa da minha mãe) e queria terminar pessoalmente.
No final além de flertar com outros, eu já fazia sexting, recebia e mandava nudes. A gota d'agua por eu ter terminado antes é que quando eu falei pro meu ex que viria, ele me disse que estaria de férias na casa da mãe dele (que é em uma cidade perto da que a gente mora) e que só voltaria quando voltasse a trabalhar: fiquei de saco cheio e terminei por mensagem mesmo. Depois descobri no facebook que ele começou a namorar outra antes de eu terminar com ele, ele a assumiu (comigo falava que não gostava de se expor em redes sociais, e meus amigos me alertaram que esse papo é estranho), ela é branca (a mãe dele reclamou de eu ser parda nas minhas costas e acabei ouvindo).
Quase o traí pessoalmente, estava com o tinder pra baixar, só não o fiz porque eu não tinha prova de traição dele. Mas me arrependo sim, devia ter o traído. Muita gente trai e o outro não fica sabendo. Não só o caso dele, mas o caso do meu pai me faz crer que 95% dos homens brasileiros trai (e muitas nem desconfia e não acaba descobrindo), então não vou ficar em relacionamento só para ser fiel, e nem namorar com qualquer Zé Ruela pra não ficar sozinha (como no caso do meu ex). Tenho uma grande vantagem de conseguir transar sem desenvolver sentimentos. Mas se eu namorar de novo vou trair sim, porque sei que o cara vai fazer isso uma hora ou outra. Pra mim chifre trocado não dói e se ele me tratar bem não vejo motivo pra ficar solteira.
Resumo: traí meu ex virtualmente e não me arrependo, arrependo de não ter traído sexualmente e ele começou a namorar com outra antes de eu terminar com ele. A próxima vez que eu namorar vou trair sexualmente e não tenho remorso nenhum com isso.
submitted by Oi1235 to Confessionario [link] [comments]


2020.10.09 18:29 sujeitoqualquer Vida assexual forçada

Relato de meus problemas de ordem mental e sexual desde a adolescência.
Passei minha adolescência 12-17 anos envolto por ansiedade social ou fobia social (não diagnosticada) e possivelmente estados depressivos (não clínicos, mas reação depressiva normal por não conseguir superar a fobia social). Aos 17 anos de idade tive um evento de forma brusca de depressão/despersonalização que durou mais ou menos 2 anos da minha vida, dos 17 aos 20. Me sentia alheio, não sentia nada, anedonia e apatia generalizada; incapacidade de sentir qualquer prazer ou interesse por qualquer atividade (antes ouvia música e sentia de forma intensa tudo que ouvia, mas depois disso foi como ouvir qualquer barulho, não fazia diferença). Tive inclusive impotência sexual.
Não foi apenas "não sentir", foi perder a capacidade de ação e decisão. Quando o emocional não aponta uma direção comportamental, tudo fica estagnado. Então, antes que alguém possa julgar que isso é "bom", a minha sensação era de estar anulado na própria vida. Preferiria sem dúvidas ter morrido a ter vivido todas essas coisas, principalmente naquela idade, fim da adolescência e início da vida adulta quando tantas coisas novas e boas poderiam acontecer e fazer eu melhorar da minha fobia/ansiedade social (Tinha começado a fazer um curso universitário, mas que acabei abandonando). Mas infelizmente tudo passou a ser ao longo desse período (17-20), senão até hoje, inconcebível. Acredito que possa ter algo a ver com a fobia social (que era um auto-diagnóstico), mas realmente não sei.
Dos 20-27 esse estado de despersonalização amenizou. Mas minha qualidade de vida nunca melhorou. Nunca fui capaz de desenvolver qualquer amizade, menos ainda qualquer tipo de relacionamento afetivo, menos ainda relaciomento sexual. Gostaria muito de ter vivido minha juventude mas era como se meu próprio corpo me sabotasse para que eu não pudesse viver.
Tentei viver com isso até hoje, ainda que com uma qualidade de vida a nível de sobrevivência, já que não tinha meios nem dinheiro para recorrer a médico até os 24 anos. Remédios antidepressivos foram por mim descartados no momento em que soube que um dos efeitos colaterais que eles causam é a apatia (problema em que luto em superar), impotência sexual (problema em que luto em superar), raciocínio lento e resposta sensorial a estímulos lenta (problema que luto em superar). Mas tentei fazer ainda assim, pela prescrição médica INDISCRIMINADA de medicamentos psiquiátricos, tentei usar 3 tipos de remédios por curtos períodos de tempo sem sentir nenhuma mudança positiva, apenas efeitos colaterais.
Me questiono se remédios psiquiátricos não fazem eu sentir minha libido alta e minha vontade de viver melhorada, então qual é a utilidade para mim? Acredito que pessoas com ansiedade generalizada e depressão severa precisem desses medicamentos. O que não é o meu caso. Não tenho crises, nem surtos. Tenho emprego e trabalho na medida do meu possível e na medida que a ansiedade social que ainda tenho me permite; me sinto muito melhor quanto a sensação de despersonalização, não tenho mais os sintomas que tive aos 17-18.
Sexualmente, aos 27 anos nunca tive uma relação sexual que pudesse sentir satisfação. Aos 24 anos, senti uma melhora no meu humor e tentei me relacionar com uma pessoa por durante um mês, tive várias oportunidades de praticar sexo, mas nunca consegui de forma satisfatória. Pude me testar quanto a isso. Tenho ereções, fracas, mas tenho insensibilidade no pênis e não consegui sentir prazer nenhum na penetração porque não conseguia ejacular. Com masturbação consigo ter ejaculação e algum prazer nas raras vezes em que me masturbo. Fui usuário de pornografia e masturbação da adolescência até agora, mas nunca fui compulsivo. Mas acredito que isso possa ter acentuado essa apatia pelo sexo real. Ainda que me masturbava poucas vezes entre os 17-27, nunca diariamente, e certamente menos que 4 vezes por mês quando muito. Parei de usar pornografia e masturbação por até 6 meses ou mais, várias vezes ao longo desses anos, e no momento não me toco já faz quase um mês e pretendo não me tocar o quanto for possível. Todas vezes em que me masturbei foi como uma forma de escape ao tédio, não sinto interesse real pelo sexo, mesmo com pornografia, sexo interpessoal para mim parece ser algo impossível agora.
Não sou assexual. A ideação e o desejo sexual forte que senti durante minha adolescência me fazem acreditar que não. Eu sinto alguma atração sexual, ainda que fraca, mas não da forma como sentia. Não sinto mais excitação no penis quando penso em sexo, nem sinto algo diferente no pênis quando vejo uma pessoa que desejo (ou desejaria) sexualmente, mas sinto em certa medida alguma atração ainda.
Poderia por outro lado trabalhar para eliminar totalmente meu interesse sexual (como os celibatários fazem), eliminar a possibilidade na minha vida de desenvolver qualquer tipo de relação íntima (sexual, amorosa, namoro, relação estável) com alguém e focar apenas em desenvolver amizades. Aceitar a solidão de viver sozinho e poder ter algum tipo de afeição amistoso apenas. Sem contato físico, sem experimentar abraços, beijos, sexo, e qualquer coisa que venha disso.
Ontem fui em um urologista, tentei relatar de forma breve meu caso aqui acima descrito, e a resposta que tive foi muito do que já vi pela internet, que poderia ser insegurança. Me foi receitado um remédio para impotência sexual (que acredito não resolver já que atua só no pênis, dando ereções artificiais, e não no problema em sentir libido, tesão.). E outro remédio antidepressivo, mesmo eu questionando se o próprio não acentuaria mais ainda os problemas que tenho.
Não sei o que faço. Passei a noite pensando em abraçar a vida celibatária forçada. Sei que sexo não é tudo, mas acredito que afeta muito a qualidade de vida, e é por meio de sexo que conseguiria desenvolver relacionamento amoroso, afetivo e ter uma relação íntima com alguém. Encontrar uma pessoa que aceite uma relação amoroso sem sexo é quase impossível, e ainda que poderia encontrar uma pessoa que dispense sexo mas que queira ter uma relação romântica, eu acredito que não conseguiria me sentir satisfeito em ter nunca relação sexual, até porque, como eu disse, não sou assexual, apenas perdi a capacidade de experimentar sexo.
Agradeço a atenção de quem leu até aqui.
submitted by sujeitoqualquer to desabafos [link] [comments]


2020.10.09 17:19 sujeitoqualquer Vida celibatária forçada

Relato de meus problemas de ordem mental e sexual desde a adolescência. Texto longo.
Passei minha adolescência 12-17 anos envolto por ansiedade social ou fobia social (não diagnosticada) e possivelmente estados depressivos (não clínicos, mas reação depressiva normal por não conseguir superar a fobia social). Aos 17 anos de idade tive um evento de forma brusca de depressão/despersonalização que durou mais ou menos 2 anos da minha vida, dos 17 aos 20. Me sentia alheio, não sentia nada, anedonia e apatia generalizada; incapacidade de sentir qualquer prazer ou interesse por qualquer atividade (antes ouvia música e sentia de forma intensa tudo que ouvia, mas depois disso foi como ouvir qualquer barulho, não fazia diferença). Tive inclusive impotência sexual.
Não foi apenas "não sentir", foi perder a capacidade de ação e decisão. Quando o emocional não aponta uma direção comportamental, tudo fica estagnado. Então, antes que alguém possa julgar que isso é "bom", a minha sensação era de estar anulado na própria vida. Preferiria sem dúvidas ter morrido a ter vivido todas essas coisas, principalmente naquela idade, fim da adolescência e início da vida adulta quando tantas coisas novas e boas poderiam acontecer e fazer eu melhorar da minha fobia/ansiedade social (Tinha começado a fazer um curso universitário, mas que acabei abandonando). Mas infelizmente tudo passou a ser ao longo desse período (17-20), senão até hoje, inconcebível. Acredito que possa ter algo a ver com a fobia social (que era um auto-diagnóstico), mas realmente não sei.
Dos 20-27 esse estado de despersonalização amenizou. Mas minha qualidade de vida nunca melhorou. Nunca fui capaz de desenvolver qualquer amizade, menos ainda qualquer tipo de relacionamento afetivo, menos ainda relaciomento sexual. Gostaria muito de ter vivido minha juventude mas era como se meu próprio corpo me sabotasse para que eu não pudesse viver.
Tentei viver com isso até hoje, ainda que com uma qualidade de vida a nível de sobrevivência, já que não tinha meios nem dinheiro para recorrer a médico até os 24 anos. Remédios antidepressivos foram por mim descartados no momento em que soube que um dos efeitos colaterais que eles causam é a apatia (problema em que luto em superar), impotência sexual (problema em que luto em superar), raciocínio lento e resposta sensorial a estímulos lenta (problema que luto em superar). Mas tentei fazer ainda assim, pela prescrição médica INDISCRIMINADA de medicamentos psiquiátricos, tentei usar 3 tipos de remédios por curtos períodos de tempo sem sentir nenhuma mudança positiva, apenas efeitos colaterais.
Me questiono se remédios psiquiátricos não fazem eu sentir minha libido alta e minha vontade de viver melhorada, então qual é a utilidade para mim? Acredito que pessoas com ansiedade generalizada e depressão severa precisem desses medicamentos. O que não é o meu caso. Não tenho crises, nem surtos. Tenho emprego e trabalho na medida do meu possível e na medida que a ansiedade social que ainda tenho me permite; me sinto muito melhor quanto a sensação de despersonalização, não tenho mais os sintomas que tive aos 17-18.
Sexualmente, aos 27 anos nunca tive uma relação sexual que pudesse sentir satisfação. Aos 24 anos, senti uma melhora no meu humor e tentei me relacionar com uma pessoa por durante um mês, tive várias oportunidades de praticar sexo, mas nunca consegui de forma satisfatória. Pude me testar quanto a isso. Tenho ereções, fracas, mas tenho insensibilidade no pênis e não consegui sentir prazer nenhum na penetração porque não conseguia ejacular. Com masturbação consigo ter ejaculação e algum prazer nas raras vezes em que me masturbo. Fui usuário de pornografia e masturbação da adolescência até agora, mas nunca fui compulsivo. Mas acredito que isso possa ter acentuado essa apatia pelo sexo real. Ainda que me masturbava poucas vezes entre os 17-27, nunca diariamente, e certamente menos que 4 vezes por mês quando muito. Parei de usar pornografia e masturbação por até 6 meses ou mais, várias vezes ao longo desses anos, e no momento não me toco já faz quase um mês e pretendo não me tocar o quanto for possível. Todas vezes em que me masturbei foi como uma forma de escape ao tédio, não sinto interesse real pelo sexo, mesmo com pornografia, sexo interpessoal para mim parece ser algo impossível agora.
Não sou assexual. A ideação e o desejo sexual forte que senti durante minha adolescência me fazem acreditar que não. Eu sinto alguma atração sexual, ainda que fraca, mas não da forma como sentia. Não sinto mais excitação no penis quando penso em sexo, nem sinto algo diferente no pênis quando vejo uma pessoa que desejo (ou desejaria) sexualmente, mas sinto em certa medida alguma atração ainda.
Poderia por outro lado trabalhar para eliminar totalmente meu interesse sexual (como os celibatários fazem), eliminar a possibilidade na minha vida de desenvolver qualquer tipo de relação íntima (sexual, amorosa, namoro, relação estável) com alguém e focar apenas em desenvolver amizades. Aceitar a solidão de viver sozinho e poder ter algum tipo de afeição amistoso apenas. Sem contato físico, sem experimentar abraços, beijos, sexo, e qualquer coisa que venha disso.
Ontem fui em um urologista, tentei relatar de forma breve meu caso aqui acima descrito, e a resposta que tive foi muito do que já vi pela internet, que poderia ser insegurança. Me foi receitado um remédio para impotência sexual (que acredito não resolver já que atua só no pênis, dando ereções artificiais, e não no problema em sentir libido, tesão.). E outro remédio antidepressivo, mesmo eu questionando se o próprio não acentuaria mais ainda os problemas que tenho.
Não sei o que faço. Passei a noite pensando em abraçar a vida celibatária forçada. Sei que sexo não é tudo, mas acredito que afeta muito a qualidade de vida, e é por meio de sexo que conseguiria desenvolver relacionamento amoroso, afetivo e ter uma relação íntima com alguém. Encontrar uma pessoa que aceite uma relação amoroso sem sexo é quase impossível, e ainda que poderia encontrar uma pessoa que dispense sexo mas que queira ter uma relação romântica, eu acredito que não conseguiria me sentir satisfeito em ter nunca relação sexual, até porque, como eu disse, não sou assexual, apenas perdi a capacidade de experimentar sexo.
Agradeço a atenção de quem leu até aqui.
submitted by sujeitoqualquer to sexualidade [link] [comments]


2020.10.08 23:51 seraollumor Acho que eu tô ficando carente!!?

Cara terminei um namoro de uns 5 anos a uns 3 anos atrás desse esse tempo sou um lobo solitário, e modéstia a parte fiz muita coisa saca?! E ficar com alguém nunca foi um problema para mim! Mas tô me achando meio carente ou besta por garotas e tipo nunca fui assim nesse tempo e não é uma em específico são todas que estou conversando ultimamente. Exemplo, passar o fim de semana vendo desenho e transando tipo full fofinho, saca?! Sei lá queria não sentir isso, tenho medo da porra de sofrer novamente e credo era meio deplorável meu estado que fiquei! Enfim acho que era isso se alguém tiver algum conselho ou comentário estou aberto.
Valeu!
submitted by seraollumor to desabafos [link] [comments]


2020.10.02 23:14 brpjtf2 Terapia, recaída, gente tóxica nos jogos online

Finalmente comecei terapia faz 2 semanas. Pelos pensamentos suicidas, depressão e ansiedade dos últimos anos. Um dos meus maiores prazeres que era andar de moto se tornou essa fantasia horrível e decidi procurar ajuda.
Achei que estava melhorando agora, e estava começando a sentir que eu poderia arrumar a vida de novo e ser feliz. Esses dias até voltei até a jogar online, e porra, me assustei quando me senti feliz rindo com as pessoas jogando CS e Rocket League, e pra minha surpresa, tem sido bem legal mesmo pelas conversas no Mic ou no chat. Jogar era algo que antes eu fazia só pra esquecer o tempo e a vida de repente eram motivo pra rir.
Mas hoje um FDP me afetou forte. Acho que algumas coisas se juntaram e quando um cara começou a me xingar, ao invés de mutar eu levei na boa, até não aguentar e começar a xingar de volta. Fiquei nervoso. Pra caralho. 2 partidas se xingando. Ele estava com um time de 2 amigos e 1 deles ajudava a me xingar. O outro só dizia "Eu te amo, cara". Achei que conseguiria só xingar de volta e ficar de boa, mas fui ficando com a cabeça num estado horrível. No fim senti como se toda minha luta dos últimos meses tivesse sido em vão, pq um FDP qualquer conseguia me fazer se sentir tão mal quanto antes.
Pior que o cara que dizia "Eu te amo" me deu vontade de chorar no fim. Meus amigos tem seus próprios problemas e sumiram. Meu namoro é o que mais tem me feito mal. Até a minha psicóloga tem se mostrado não se importar muito com o atendimento. No fim o "Eu te amo" do desconhecido foi o mais sincero que ouvi em tanto tempo...
Pelo menos chorei, nem que seja de raiva e de tristeza, mas não conseguia a anos.
submitted by brpjtf2 to desabafos [link] [comments]


2020.10.02 05:45 Marcinhow Reflexões do fundo do poço

Me encontro aqui desesperançoso, depressivo, fracassado e sem amor por nada. Cansado de relações casuais e que não acrescentam em nada, e fugindo da corrida dos ratos materialista. Enfim, a pouco menos de 3 meses completados 19 anos e não vejo sentido em nada, e o que já vi me traumatizou tão profundamente que crie uma certa barreira.
Sou o resultado de um casamento de duas pessoas muito mal estruturadas, minha mãe que vem de uma família até que com um sucesso profissional legal concurso, ensino superior, empresa de sucesso (que a todo tempo me olha de cabeça aos pés, me chamando de coitadinho e colocando para baixo). E a do meu pai, estilo a grande família, um povão unido e que no final todo mundo fala mal de todo mundo. Muito provável fruto de uma gravidez não planejada/desejada.
Toda a minha vida tentei ao máximo ser um cara honesto, deixei pisarem na minha cabeça, para não ter que pisar nos outros. Isso foi refletido tanto em amizades, namoro e até desconhecidos. Por ser assim, sempre procurei a solidão, apesar dela ser terrível e torturante. Mas mesmo sendo tão sozinho sempre me doei ao máximo às pessoas que nutri afeto, como disse anteriormente só levando facada nas costas de amigos e principalmente namoradas, que apesar do meu jeito bruto nunca deixei faltar amor.
Venho montando um negócio online, que vem até dando certo (graças a pessoas maravilhosas que me trombei nesse caminho, mesmo que nunca tenha visto eles pessoalmente, amo pra caralho), mas todo dia pensando que vou acordar e irá dar tudo errado, e irei voltar a meu estado de miséria que sempre fui, não tendo condições de comer um podrão de 10 reais ou tomar uma lata de cerveja.
Cansado dessa mesquinharia, promiscuidade, relações razas e vaidade. Olho o tempo todo o mundo com um teor de nojo, no qual pessoas tentam a todo momento te afetarem ou não te olharem se vc não tiver algo a oferecer (não como centro das atenções, até pq nunca gostei disso, mas sim no sentido de te enxergarem como pessoa). Ansiedade vem me corroendo, a ponto de nem conseguir estudar e o desânimo em seguida, vem sendo pior ainda.
Minha vida vinha sendo completamente uma merda, até que parece que forcei um namoro com uma menina que não gostava de mim e que gostava para caraléo dela, pareceu tudo ficar menos merda até chegar o término e como ele aconteceu... Ai vcs já sabem, ladeira a baixo. Dinheiro e nem bens materiais me atraem ou traz felicidade, tô no estopim a ponto de não aguentar mais um trauma, que caso venha, (perder minha mãe, avó ou cachorra) partirei dessa para uma melhor. O podcast do Petry me ajudou muito a entender isso e conseguir ficar um período a mais vivo, mas eu penso que poderia resolver tudo isso facilmente...
Não venho aqui acreditando receber tanta ajuda, nem acredito que os coping's que dirão irá ajudar em algo, venho mais como um desabafo e que vi que usavam essa forma de se expressar para aliviar a dor.
O TEXTO DEVE TER FICADO UMA MERDA, CHEIO DE ERROS GRAMATICAIS E CONFUSO. ENFIM, É SÓ UM POUCO DA MINHA CABEÇA QUE NÃO PARA SEQUER NA HORA DE DORMIR.
submitted by Marcinhow to desabafos [link] [comments]


2020.09.30 13:42 DarkDollynho Finalmente Criei coragem de postar... Senta que lá vem história.

Eu tenho acompanhado a comunidade faz algum tempo, e antes de escrever o que preciso quero agradecer por vcs existirem e estarem dispostos a compartilhar e receber historias de todos os tipos e cantos.
Vamos lá!
Sou o clássico guri dos anos 90 que vibrou com o penta, jogou super Nintendo e agora ta beirando os 30 anos.
Sofro com depressão e ansiedade desde que me entendo por gente, sinceramente não sei se vem da situação familiar ou se é algo crônico.
A real é que meus pais (como boa parte das famílias dos anos 70,80 e 90) não se amam e nunca se amaram (muita gente se juntava por necessidade mesmo) e acho que isso pode ter influenciado um pouco na forma como vejo o mundo.
Meu pai tinha um casamento, do qual ficou viúvo e desse casamento 4 filhos (3 usam drogas e 1 desapareceu).
Ele então se casou com minha mãe e eu nasci (em seguida outros 2 irmãos), convivi com 1 dos meus irmãos por parte de pai que sempre deu problemas, desde uso de drogas, porte de arma, roubos, etc.
Bom exemplo foi algo complicado durante a infância, pois minha mãe vivia tretando com meu pai por conta desse meu irmão, que não é filho dela, até entendo.
Meu pai sempre desconfiou que minha mãe havia/estava traindo ele, e desde os meus 8 anos meu pai me usava como psicólogo dele, desabafando e jogando todo tipo de pensamento na minha cabeça.
Eu era bem religioso (não sei se era uma fuga) e cresci com isso, entre caraminholas da cabeça do meu pai e tentar ser uma criança.
Eu tbm fui abusado por um cara conhecido da família. Não quero entrar nesse mérito.
Sempre apanhei muito pra aprender matemática (nunca aprendi de fato) enquanto convivia com meus irmãos e tal.
Quando cheguei nos 16 anos mais ou menos a aposentadoria do meu pai foi cortada, ele já com idade avançada e minha mãe tbm, meti a cara trabalhar.
Pagava meus próprios cursos e comia 1 pacote batata palha no almoço pra economizar dinheiro.
Passei por empregos porcarias, que nem vou adicionar a historia, mas que tenha certeza que contribuíram negativamente na minha vida.
Conheci minha ex namorada na igreja, ficamos juntos por muito tempo.
Eu sempre quis ser o namorado perfeito, daquele que dizia: "se minha namorada não pode ir comigo, aquele lugar não eh pra mim." (talvez um erro sobre individualidade)
Foram 8 anos bacanas, entre altos e baixos na minha família sempre coloquei minha ex em primeiro lugar.
Trabalhava pra ela poder estudar e fazer faculdade(eu tbm estudava), levava ela pra todo canto quando precisava, ajudava com trabalhos, treinava ela pra entrevistas, pagava cursos...
Até que conseguimos entrar na empresa dos sonhos (ela primeiro, eu dps) de qualquer pessoa da área de TI (ambos na msm empresa)... Volto nesse ponto dps, muito importante.
Nesse meio tempo uma das minhas irmãs drogadas por parte de pai apareceu, com 1 filha recém nascida... Ela estava presa e perdeu a guarda da criança.
Então lá vai eu ajudar meu pai a conseguir a guarda, entre visitas a outro estado pra ver a neta e dinheiro para advogado. (o advogado morreu durante o processo mano)
Conseguimos a guarda, minha irmã saiu da cadeia e fez da nossa vida um inferno (ainda faz, ainda estamos criando uma criança que não tem pai e tem uma mãe drogada).
O relacionamento dos meus pais que já era ruim, piorou, eu no meio dessa merda toda já tinha tentado o suicídio 2x...
Nessa época comecei a perceber que minha ex não se preocupava comigo como eu me preocupava com ela, ela não se importava com minha saúde mental, não se importava com a minha pessoa, a sensação era que ela tinha se acostumado seja com a boa vida, seja com a constância que a vida tinha tomado.
Eu tinha juntado dinheiro para irmos pra outro país fazer intercambio, pensava em pedir ela em casamento la, 9 anos de namoro já era bastante... Ela não se empenhou em absolutamente nada, parou no tempo. quando ela não conseguiu o visto simplesmente não se importou.
Ela tinha arrumado um amigo na empresa, e foi aqui que a merda bateu de vez no ventilador.
Ideias de balada gay entre ela e o amigo apenas (ele assumidamente gay), viagens entre apenas os dois. Eu concordava, mesmo me remoendo de ciúmes por dentro. Sempre prezei pelo "Eu confio, eu a conheço". (meus amigos diziam que eu era otário por tratar ela tão bem, fazer de tudo)
Nesse tempo eu já fazia acompanhamento psicológico e psiquiátrico (minha psiquiatra era mais amor que minha psicóloga).
aguentei quase 1 ano disso, desistimos da viagem, comprei 1 casa ao invés de viajar (ela nunca quis sequer visitar o imóvel), após uma transa ela simplesmente começou a chorar e disse: Quero terminar.
Foi bizarro. Absurdamente bizarro.
Eu estava no extremo na minha vida pessoal com minha família, e meu porto seguro era o relacionamento (não dos melhores, mas estava ali há bastante tempo), neguei propostas de emprego fabulosas pra ficar com ela e isso agora?
Decidi seguir em frente, tendo crises de pânico e ansiedades como nunca antes, com a família SEMPRE dizendo, isso é falta de Deus, isso é frescura, esses remédios estão te matando, isso é falta de vergonha na cara, conheço pessoas que se mataram e quem se mata não avisa....
Nesse meio tempo minha psiquiatra (que era melhor que minha psicóloga) morre em um acidente de carro, ainda não superei.
3 semanas depois minha ex assume o namoro com o "amigo", moramos a 1km do outro, trabalhamos em uma empresa em outra cidade e temos que pegar ônibus juntos e trabalhamos no mesmo prédio com diferença de 1 corredor.... Se ela me traiu ou não tem a ver com a índole dela e não com a minha. Eu segui em frente, não sinto nada por ela, mas a depressão e a tristeza parecem não ter fim. Já era grande durante o relacionamento. Sozinho, sem ter com quem contar (é difícil conversar sobre isso com as pessoas) tem piorado muito.
hoje me encontro aqui, sem forças pra conhecer pessoas novas, sem forças pra por fim ao meu sofrimento, sem forças pra acreditar no setembro amarelo de pessoas falsas, sem forças pra ser eu.
Desculpem o texto grande, muita coisa ficou de fora pois acho que o texto já está cansativo, mas o problema é que eu estou cansado tbm. De remédio, de lagrimas, de tristeza...
E me sinto pior por ter superado o mundo, alcançado o sonho de muita gente com emprego bom, falar outra língua, ter casa própria, moto...
Me sinto mesquinho por não dar valor a nada disso depois de tudo que passei...
submitted by DarkDollynho to desabafos [link] [comments]


2020.09.30 03:43 LCNSantos ela terminou comigo hj e me sinto sem rumo, será que eu nasci pra ser sozinha?

eu estava namorando essa menina de outro estado há três meses. Eu sei q namoro a longa distancia nao é algo facil nem com grandes chances de dar certo
Mas amo ela de verdade. Ela me pediu em namoro 3 meses atrás e hoje disse que acha que foi mto impulsiva e nao tinha pensado nos problemas relacionados a um relacionamento sério, e que nao achava que conseguia me dar atenção q eu merecia. acho que pra mim o pior é que ficou parecendo uma desculpa pra terminar.
Eu sinto que todos meus relacionamentos acabam comigo ainda gostando das pessoas com quem me envolvo, o problema deve ser eu mesmo
vcs acreditam q algumas pessoas nasceram pra ser sozinhas?
submitted by LCNSantos to desabafos [link] [comments]


2020.09.29 23:46 ravirosa Acho que vou precisar me relacionar com alguém só por necessidade

Bom, tenho vários valores individuais que diferem da maioria (não quero me achar o diferentão carente por atenção). E uma delas é sobre relacionamento, eu acho que a maioria dos relacionamentos são perda de tempo e também é mais difícil lidar com o emocional quando está em um namoro (diria que tenho controle de 90% das minhas emoções e não quero dificultar o controle delas).
E como eu quero morar sozinho, eu teria de arcar com todas despesas. O que é relativamente caro. Meu objetivo é conseguir um salário que seja o dobro ou triplo do meu custo de vida (acredito que seria na facha de 4 à 6 mil mensal). Mas não é fácil conseguir isso trabalhando para os outros. Pensei em concurso público para PC mas vi que no meu estado não tem um bom gerenciamento dos concursos (e não quero mudar de cidade, acho ela ideal para tudo que eu quero).
Agora enfrento o problema de escolher um curso que eu goste e que seja bem remunerado. É bem difícil, então acabei cogitando casar com alguém para dividir os custos). Obviamente a pessoa estaria ciente disso e provavelmente seria um relacionamento aberto. Mas não sei se isso daria certo, porque, como é um relacionamento pra um fim específico, a pessoa teria de ser bem específica para haver um bom convívio entre nós.
É isso, espero conseguir um bom emprego ao invés de me casar.
submitted by ravirosa to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 21:25 hiroshibear O namorado de minha amada.

O título é interessante e por vezes pode ilustrar algo cômico. A situação na totalidade é confusa, complexa e cansativa, o que me fez repensar e evitar postar algo aqui durante um bom tempo.
Contudo nós cansamos, ficamos exaustos e precisamos absorver e observar com opiniões de outrem, que felizmente, não estão envolvidos e não possuem vínculos com nenhum dos citados aqui.
Conheço uma menina fazem alguns anos, nós sempre conversamos e tivemos uma relação interessantíssima. Ela é uma daquelas meninas que gostam de arte, de literatura, poesia e de estar em situações que liberam a adrenalina em seu estado mais puro.
Ela me contou que estava namorando e que estava feliz com isso. Prontamente desejei meus votos sinceros para o amor que continha a sua iniciação a partir daquele ponto.
Nós continuamos conversando, trocamos mensagens e saímos para tomar umas bebidas, entretanto sem malícia alguma, apenas na amizade mesmo. Éramos acompanhados por outros amigos e a nossa relação enquanto amizade estava intensa e belíssima. A realidade é que sou apaixonado por ela.
Cerca de alguns meses atrás, a recebi em minha casa, chorando e sem entender absolutamente nada. Os braços dela estavam machucados e ela estava com um olhar pesado, como de quem havia chorado muito e só gostaria de relaxar um pouco. A propósito, pouco a pouco as peças foram se encaixando e entendi a situação.
Fran estava sofrendo com ameaças, abusos emocionais e, em específico naquela noite, com uma agressão verbal e física. Ver ela daquela maneira corrompeu um pedaço de meu sentimento e chorei junto a ela.
Prontamente me coloquei a favor dela, deixando-me a sua total disposição, conversando e dando todo o suporte emocional que fosse necessário.
Fran me disse que iria terminar com ele na noite seguinte, por mensagem e que estava com medo de sofrer com represálias de amigos e parentes, além do medo de ocorrer ataques e perseguição vinda do Guilherme, que é o atual ex namorado dela, pasmem.
Estava exaltado, queria correr atrás dele enquanto precisava dar suporte e carinho para ela. Sou um homem que segue o lado racional, portanto, ela me mostrou todos os machucados e eu fiquei fazendo os curativos nela.
Quando eram por volta de três e meia da manhã, a chamei para ir dormir, e nós fomos. Ela tentou me beijar e eu recusei em respeito aos votos de fidelidade ao atual relacionamento.
Disse para ela que, caso quisesse ficar comigo, que teria que terminar o relacionamento primeiro. E que isso, embora ele possa até merecer, é algo injusto e que não cabe a mim. Fran concordou e se deitou ao meu lado para dormir.
Noutro dia tudo correu bem, ela terminou e me contou pessoalmente. A notícia se espalhou até que rapidamente, visto que nós moramos próximos de nossos amigos e somos quase que vizinhos um do outro.
Eu e Fran ficamos algumas vezes, transamos, trocamos cartinhas e todas as coisas fofas que vocês podem imaginar. Até chegarmos no estágio de anteontem.
Anteontem nós estávamos conversando sobre o futuro, e ela gradualmente foi me revelando suas inseguranças e seus planos. Me confessei para ela, disse tudo o que eu sentia, disse o quanto eu a amava e o quão seria bom ter ela todos os dias.
Fui retribuído, embora não fosse da forma que eu tenha pensado que ela faria. Acredito que a vergonha e a sinceridade da situação acabou ocasionando isso.
Agora, cá estou eu, pensando em como pedir Fran em namoro. Ela é uma menina bela, e eu a amo, amo o suficiente para querer ficar com ela durante toda a minha vida. O problema é que, assim que a pandemia acabar, ficarei mais distante fisicamente, pois terei que me mudar.
Ficarei um ano fora para resolver questões de família e ela poderia ir comigo caso pudesse e quisesse. Acredito que querer pode até ser que sim, todavia ela ainda está com certa dependência ao trabalho e ajuda a cuidar da mãe que está doente.
O que vocês fariam, amigos?
Fraternalmente, Anônimo do Reddit.
submitted by hiroshibear to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 16:00 Triiggerr Tente não ser social awkward

Antes de mais nada desculpa pelo termo em inglês. Eu não sei se existe um nome pra isso em português.
Minha história começa ha 3 anos. No final de 2017 meu cachorro morreu e eu era muito apegado a ele e eu fiquei sem rumo e sem motivo pra continuar vivo. Eu só continuei indo pela minha mãe e pelo meu pai senão eu tinha me matado.
Alguns meses desse estado mental de desistência eu já tinha perdido basicamente toda minha habilidade de socializar e interagia basicamente com 3 amigas na minha sala e não conseguia ter um diálogo com mais ninguém direito.
Até que em abril de 2018 eu conheci uma menina e eu conseguia conversar com ela de verdade e eu me apaixonei por ela e a gente começou a namorar. Eu fiz tudo que eu podia e tudo que eu não podia por ela. Gastei Todo o dinheiro que eu tinha, peguei dinheiro emprestado, paguei no crédito sem saber como q eu ia arrumar dinheiro pra pagar o boleto no final do mês, Briguei com meus pais, parei de conversar com uma menina q ela não gostava, fiz coisas que eu não gostava/não queria. Isso tudo ao longo de 2 anos e meio de relacionamento.
Por mim tava tranquilo por que eu amava ela e as outras coisas não eram tão importantes mesmo. Porém além disso tudo eu também parei de interagir muito com meus amigos quando eu não estava na escola por que eu ficava sempre com ela fazia tudo com ela e etc.
A consequência disso foi que atualmente, depois de formado no ensino médio, eu interagia basicamente só com a minha namorada, conversando muito raramente com meus amigos que são um total de 4 pessoas sendo que a pessoa que converso mais fequente eu falo tipo uma vez a cada 15 dias ou algo assim.
Pulando pra sábado passado minha namorada falou comigo que ela me amava apenas em X circunstâncias, que ela não me apoiaria a fazer tudo que eu achasse correto e que eu só era a prioridade dela a não ser que ... (qualquer coisa que ela decidir). Ela já tinha apresentado esse comportamento antes de priorizar outras pessoas e outras coisa a cima de mim mas eu não ligava por que eu amava ela. Isso que ela falou já me fudeu com todas as forças mas eu não fiz nada só fiquei triste e com raiva.
No domingo ela terminou comigo. Falou que não tava dando certo pra ela a um tempo ja e que achava que era a melhor coisa a se fazer.
Agora vem a explicação do titulo. Tente não ser social awkward. Como eu só conversava com ela e não interagia com mais ninguém direito eu estou completamente desorientado. Meus pais e minha irmã tão me dando uma força daora e eu consegui conversar a respeito com uma amiga minha mas eu simplesmente tô abandonado sozinho no mundo. Por que eu vejo as coisas penso as coisas e quero contar pra alguém mas não tem ninguém pra contar por que eu só conseguia conversar mesmo com ela. Ontem eu tive uma crise de ansiedade que durou tipo a tarde inteira por que eu tava completamente perdido no mundo e na minha vida.
Além disso tudo eu não posso fazer nada que eu gosto o que piora tudo infinitamente. Eu sou músico violonista e pianista e sou programador. Porém no último mês eu tenho tido um problema na mão que acredito ser tendinite que toda vez que eu vou tocar ou mexer no computador minha mão começa com uma dor insuportável (Mas já marquei um fisioterapeuta e vou consultar essa semana ainda). Então nesse momento eu tô sem ninguém pra interagir direito e sem poder tocar ou mexer no computador o que piorou tudo.
O que ta me "segurando no lugar" são meus pais, minha irmã, meu cachorro(que veio pra minha casa ano passado) e a amiga que eu consegui conversar. Mesmo assim eu tô tendo crise de ansiedade e começando a chorar do nada e ficando olhando pra parede pensando que que aconteceu e pensando como que o universo gosta de me fuder por que no último ano tudo deu errado pra mim menos o meu namoro e agora o namoro deu errado também.
A moral da história é não pare de interagir com seus amigos em nenhuma situação. Não baseie toda sua sanidade e paz de espírito em uma pessoa por que a gente nunca sabe o que vai acontecer. Eu queria e acreditei que eu ia casar com ela e a gente ia ter filhos e uma família e ficar juntos pra sempre mas o universo tinha outros planos pra gente.
Tente ao máximo não ser social awkward por que isso doi muito e eu espero que mais ninguém tenha que passar pelo que eu passei ontem.
Desculpa pelo texto gigante eu não consegui falar sobre isso com mais ninguém direito e aqui me pareceu um lugar apropriado.
submitted by Triiggerr to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 11:38 LupusParsec Eu falei o que não devia e não consigo me perdoar

!!! ALERTA DE CONTEÚDO SENSÍVEL E PARCIALMENTE PESADO !!!
Bom, eu queria falar sobre muitas outras coisas que envolvem a situação desse meu post, tais como a minha depressão, minha síndrome de azperger, minha ansiedade, meu jeito de ser, falar, pensar etc. Mas isso faria muita firula e esse post teria um tamanho bíblico, então tentarei ser breve e direto, mas tenham em mente que essas minhas características acima.
Bom, eu tenho 21 anos e passo por uma situação bem complicada atualmente (como vocês podem imaginar). Mas eu agora gostaria apenas que vocês me dissessem: o quê eu posso fazer para me perdoar? "Perdoar do quê", vcs se perguntam? Bem, disso aqui:
Resumindo, eu entrei num assunto delicado com um amigo que fiz recentemente, mas ele se revoltou (porque era um assunto polêmico e muito delicado) e provavelmente ele me entendeu errado e agora tenho medo de perdê-lo, já que ele foi bem acolhedor comigo e praticamente não tenho mais ninguém e estou sem esperanças. Eu fui muito ingênuo e inocente achando que eu poderia sair falando de um assunto assim com qualquer um que iria ser de boas. Eu não levo jeito pra socializar e vendo como o mundo está hoje, eu pretendo nunca mais expor minhas opiniões para os outros. Quero apenas absorver, raciocinar e tirar minhas próprias conclusões. Sim, isso praticamente acabou de acontecer (há mais ou menos umas duas horas). Eu já tentei me desculpar, mas não sei se ele vai ver as mensagens.
Agora, por favor, me ajudem a tentar superar isso. Me digam algo que eu possa fazer ou pensar pra parar de me sentir assim tão mal.
OBS.(pra já ajudar vocês a montarem os seus comentários): não, não tenho religião, sou agnóstico; não tenho mais ninguém pra desabafar (nem minha família serve (essa história é complicada)); nada mais do que eu gosto de fazer me conforta mais; sim, eu tomo remédios e estou me tratando; sim, meu estado de depressão é bem avançado (e sim, já tentei cometer su***dio uma vez e ultimamente, essa vontade tem voltado, então tenha em mente que REALMENTE, minha situação é deveras complexa e imagina só o tanto de coisa que se passa na minha cabeça); não, não namoro, não quero e não pretendo; não, eu não tenho algo de novo que pretendo experimentar; meu cérebro de 138 de QI é extremamente hiperativo e está sempre raciocinando ou pensando sobre algo, mesmo que eu não queira (normalmente é sobre temas como: matemática, física, química, biologia, geografia, astronomia, filosofia e semelhantes); me sinto mais uma máquina do que um humano e não consigo me sentir amado; não sou capaz de compreender várias coisas na sociedade como um todo. [Já que isso não era nem 0,0000... ...00001% do que eu quero falar, lembrem e pesquisem as minhas características que mencionei no começo, obrigado].
...no fim das contas, eu não fui muito breve...
submitted by LupusParsec to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 23:19 Abarross O que fariam no meu caso ?

Até 2015 eu era uma pessoa normal... Tinha vida social e realmente era feliz... Mas passei por 3 traumas grandes na minha vida!
1 - meu pai ficou doente, tivemos que mudar de estado, deixei amigos, namorada, faculdade, vida social e etc.
2 - conheci uma pessoa nessa nova cidade, começamos a namorar, fomos morar juntos, algum tempo depois a relação esfriou e ela me largou, eu tava apaixonado por ela e foi meu primeiro namoro sério... daí fiquei com raiva das mulheres(generalizei), fiquei com baixa autoestima, complexo de inferioridade, ansiedade e depressao....
3 - meu pai faleceu, acho que arrancar um braço seria menos doloroso que essa perda. Me afundei no cigarro, junto com os problemas do segundo trauma, minha família se afastou um pouco de mim, minha mãe meio que me culpa, não sei o porquê, mas tudo bem!
Atualmente me livrei do cigarro faz um ano, to treinando, melhorei o corpo e um pouco da alma Mas ainda tenho complexo de inferioridade, ansiedade, baixa autoestima, medo do futuro e raiva das mulheres, minha relação com minha mãe e horrível, e pra completar minha mãe virou amiga da minha ex.... e infelizmente dependo financeiramente da minha mãe até receber minha parte na herança.
To sem rumo, sem vontade de fazer nada na vida, sem vida social, sem amigos, sem sexo, sem prazer nenhum.... Minha vida se resume a academia e voltar pra casa e ver YouTube, e to tentando terminar minha faculdade de biomedicina, mas a vontade ta indo embora
To pensando em pegar a grana da herança e ir embora ou pros eua, Portugal, russia... So quero ser feliz de novo.
submitted by Abarross to desabafos [link] [comments]


2020.08.25 11:05 PracticalKoala130 MINHA NAMORADA PAROU DE FALAR COM UM AMIGO PORQUE PEDI.

Bom, o texto se paga pela situação que ocorreu comigo! Conheço minha namorada já tem uns 5 amigos, a gente estudava no mesmo colégio mas nunca tivemos muito contato, esse ano a gente começou a se falar por coincidência por causa do LOL e então começamos a conversar, ficar, sempre jogamos juntos, sempre estamos juntos e então começamos a namorar. Porém ela tem esse tal amigo que eu vou chamar aqui de “verme”, o Verme não mora na mesma cidade que a gente, ele é de um outro estado, uns 5mil km da distância, ela conheceu ele pelo LOL e segundo ela é um amigo muito importante, disse que sempre ajudou ela quando ela tava mal, quando passou por momentos difíceis. Hoje estávamos jogando e ela disse que ele estava diferente com ela, mas nisso daí eu já achei estranho pq eles sempre jogavam juntos, mas desde que começamos a ficar ela só joga comigo. Então ela me contou que ele estava puto pq ela não dava atenção pra ele, no meio da partida ela começou a responder ele na dm do LOL e ela disse pra ela mentir pra mim só pra jogar com ele, que não se importava com o namoro dela e que era pra ela tacar o fodase e dar um jeito de dar atenção pra ele, jogou várias coisas na cara dela, foi grosso pra caralho, mandou tomar no cu, ir merda, chamou de troxa, isso pra mim foi o estopim, falei que não iria admitir uma pessoa que tem influência sobre ela, pelo fato de serem muito amigos falando assim sobre mim, sobre nosso relacionamento e falando com tal grosseria com ela. Então ela me disse que ficaria triste mas que paparia de falar com ela depois de uma longa discussão que tivemos. Eu sempre tentei ser tolerante, mas quando li a forma que ele falou, como se ela tivesse que dar atenção pra ele só pq ele foi “amigo” dela, eu fiquei puto, e pela forma que ele disse pra ela menti pra mim só pra jogar com ele foi foda. Eu queria saber se eu fui muito escroto de pedir pra ela cortar o contato com esse verme, obrigado e espero que entendam! 25/08/20
submitted by PracticalKoala130 to relacionamentos [link] [comments]


2020.08.10 09:50 HenryAvr buscando uma opiniao...

namoro há 6 anos, e ultimamente tem estado difícil, nós nos damos bem em muitas coisas, como conversar sobre coisas variadas, passear, rir juntos. Mas quanto ao lado sexual, isso está muito difícil, o que antes era quente e prazeroso, hoje em dia vejo como uma manutenção, talvez uma obrigação. Parece que não tem mais aquela vontade, eu sinceramente acho chato. as vezes sinto mais prazer vendo um filme erótico. Pensei em separar por isso, mas fico balançado, porque ele é carinhoso comigo, é atencioso o que precisar de ajuda ele está ali pra ajudar e raramente brigamos. O problema maior é o lado sexual mesmo, as vezes penso que ele possa estar me traindo, o que tem me gerado muita insegurança e gerado muitas perguntas a ele sobre isso, jura q não está, mas eu nao consigo confiar 100 %. Já tentei ser mais quente, beijar com mais fogo, buscar coisas novas, lugares novos mas nao me sinto correspondido isso me desanima muito, já conversei com ele sobre isso que eu sinto, pede desculpas e diz que vai melhorar, ou que é pelo fato de eu pedir explicações sobre minha desconfiança que o deixa tenso, mas mesmo que eu nem toque no assunto, a situação nao muda. Entao nao sei o que fazer, se por um lado somos otimos amigos e parceiros, pelo outro somos pessimos amantes. O que vcs fariam? obrigado
submitted by HenryAvr to desabafos [link] [comments]


2020.08.10 02:01 gifsz eu acho que arruinei tudo

bom, vou começar meu desabafo sem enrolação:
em setembro do ano passado conheci um menino (vou chamar de daniel). a gente se conheceu através do meu melhor amigo, que também é melhor amigo desse daniel. logo que fomos apresentados a gente começou a ficar sério, não era um namoro mas também era algo só entre eu e ele.
infelizmente em dezembro a gente acabou, as coisas não estavam dando muito certo, porém o nosso término não foi muito amigável. não é como se tivesse briga nem nada, porém ambos temos muito carinho pelo outro, a ponto de deixarmos várias coisas não serem ditas para não nos magoarmos.
depois que terminamos a gente até saia pq tínhamos o mesmo grupo de amigos, mas não nos falávamos. enfim, paramos de sair e 7 meses depois é o aniversário do meu melhor amigo (q tmb é melhor amigo do daniel).
dias antes do niver do meu mlr amigo, eu decidi me encontrar com o daniel para as coisas não ficarem estranhas entre nós no aniversário do nosso amigo.
eu, daniel e mais dois amigos começamos a sair e estava tudo bem para mim, porém na festa de aniversário eu tive duas crises de ansiedade por causa do daniel.
(para ficar tudo esclarecido, dps de eu e daniel terminarmos, ele começou a ficar com uma “amiga” minha, que só o fazia de trouxa. e por eu ser a ex dele tinha que aguentar muita coisa. mas ele acordou e terminou com ela).
enfim, para vocês entenderem como daniel é: uma pessoa que tem um coração puro, não sente ódio ou raiva de ninguém além dele mesmo. e ele se culpa muito.
por isso ele acabou se preocupando demais comigo no aniversario mas meu amigo nos impediu de conversarmos pq eu não estava num estado tão legal.
agora está a treta: hoje eu, daniel e dois amigos fomos para a praia (era a despedida de um desses amigos).
detalhe que por tudo oq estava acontecendo e pelas minhas constantes crises de ansiedade eu ia pedir para nós nos afastarmos.
acontece que estava muito frio e eu peguei emprestado o moletom do daniel, que no bolso estava a chave de casa minha e dele junto com o celular dele.
sim, a gente perdeu o celular dele. eu não sei como isso aconteceu, pq ninguém se lembra com quem estava o celular da última vez que o vimos. não sabemos se daniel o pegou, se alguém deixou no chão, se eu deixei cair, enfim.
daniel não me culpou em nenhum momento. não gritou comigo, não me xingou ou esperneou. não. ele ainda começou a me acalmar e tentar me fazer rir.
ele não é uma pessoa que tem muito dinheiro para bancar outro celular, e ele tem muitos problemas com a mãe (semana passada ele quebrou a bicicleta então imagina).
eu fiz merda. a culpa pode não ter sido minha, mas pode ter sido. eu estava com o moletom dele. eu não quero que ele enfrente a barra sozinho com a mãe, até pq ele é q nem eu, fudido mentalmente. mas quando eu tento ir conversar com ela, o daniel não deixa e me impede.
agora ela quer mandar ele para outro estado e eu não sei o que fazer.
(eu sinto um amor enorme pelo daniel, como nunca senti antes por alguém e não queria perdê-lo, mas eu to começando a pensar que eu sou uma desgraça na vida dele, e ele ainda me trata como uma princesa. as vezes da raiva dele).
submitted by gifsz to desabafos [link] [comments]


2020.08.08 22:34 bigm0d eu odeio tudo isso

bom, tem 1 ano que a gente tá "junto" e se conhece. Ela é de outro estado e veio fazer faculdade na minha cidade, de artes. Eu? Vivo aqui desde sempre e esse era meu medo quando nos conhecemos. Antes de nos conhecermos, ela terminou um namoro porque o ex não conseguia essa fita da distância, e eu... bom, eu tinha acabado de terminar uma relação também há poucos meses e estava tentando me estabilizar. Nesses 1 ano e meio, basicamente, a gente terminou e voltou umas 3x por conta de imaturidade... Parece que a gente não consegue se entender... A GENTE é completamente o contrário do outro, mas somos completamente completos quando estamos juntos. Nosso amor é algo surreal, coisa de pensar no futuro e querer que isso seja logo, e olhar pro passado e saber que nunca experienciamos algo tão único e surreal com outra pessoa.
Acontece que eu tenho depressão/ansiedade/síndrome do pânico, e tenho um humor horroroso. Às vezes quase sempre acordo com ódio do mundo, triste com a vida. Não tem uma semana que consigo passar tranquilo e ela fala que isso cansa ela ultimamente, porque não tenho feito nada pra mudar. Realmente ela tem razão, parece que estou estocado em uma lama e me dei por vencido e só estou afogando. Ontem brigamos por conta disso, e foi uma briga feia. Me senti abalado quando ela disse que não faço nada pra mudar e falei que ela estava sendo escrota, de saber quem eu sou e que convivo com isso tem quase 10 anos, e que ela estava sendo escrota de falar que não faço nada pra mudar. Brigamos, ela se tornou uma pessoa irreconhecível, disse que terminamos, logo depois repensou e que queria um tempo pra ela.
E vocês sabem, tempo pra uma pessoa ansiosa não é nada suportável. Ela tá tomando seu tempo e buscando coisas pra se sentir bem, saindo com suas amigas e vivendo sua vida normalmente. Já eu, tô preso a ela e não consigo fazer exatamente nada. Não sei o que fazer e nem me vejo fazendo nada sem ela do lado... Me sinto horrível e preciso de ajuda.
PS* Ela tá na cidade dela tem um mês, pelo fato da pandemia ter trancado as aulas práticas e presenciais da faculdade, o que dificulta um pouco a situação de se ver e arrumar tudo. E são 1.000km da minha cidade.
submitted by bigm0d to desabafos [link] [comments]


Diário de Intercâmbio USA #14 Namoro Americano NAMORO À DISTÂNCIA E PRIMEIRO ENCONTRO BRASIL e ESTADOS UNIDOS ✔️ TERMINEI O NAMORO? TO NO EUA SOZINHA? VOLTAR PRO BRASIL?  Larissa na estrada Quer casar com gringo? Top 10 sites de relacionamento nos ... Indo Visitar meu Namorado nos Estados Unidos ...

Namoros Online, Homens Solteiro dos EUA, Europa - Rose Brides

  1. Diário de Intercâmbio USA #14 Namoro Americano
  2. NAMORO À DISTÂNCIA E PRIMEIRO ENCONTRO BRASIL e ESTADOS UNIDOS ✔️
  3. TERMINEI O NAMORO? TO NO EUA SOZINHA? VOLTAR PRO BRASIL? Larissa na estrada
  4. Quer casar com gringo? Top 10 sites de relacionamento nos ...
  5. Indo Visitar meu Namorado nos Estados Unidos ...

Oi, gente, nesse vídeo eu falo sobre um assunto muito esperado que é NAMORO AMERICANO. Falo um pouco sobre tudo que eu convive nesses meus últimos 8 meses que passei aqui. Espero que tenham ... No video de hoje eu respondi as perguntas de vocês sobre o que aconteceu com o relacionamento que originou o Larissa na estrada. Também compartilhei um pouco dos últimos 3 meses e o que ... SE INSCREVA E DEIXA O LIKE! Fui para Boston, nos Estados Unidos para visitar meu Namorado Português que mora lá! Mostrei minha viagem, chegada e um pouco do ... NAMORO À DISTÂNCIA E PRIMEIRO ENCONTRO💑 BRASIL e ESTADOS UNIDOS ️ Jennifer Vlogs. Loading... Unsubscribe from Jennifer Vlogs? ... Neste vídeo eu conto pra vcs a história de como conheci meu marido gringo e dicas de como conseguir o seu! TOP 10 melhores sites de relacionamento nos Estado...